Tivemos 97.798 mil leitores em 2016 - 8150/mês, 80.511 até ao 3.Trimestre de 2017 - 8.950/mês e mais de 310 mil desde julho/2010 (3.600 por mês, durante mais de sete anos)

31.1.08

Hoje é o primeiro dia, do resto da minha vida...

Como dizia o poeta...


SOPROS DO VENTO

Quantas estradas um homem precisa percorrer
Antes que homem se possa chamar?
Quantos mares precisará uma pomba branca sobrevoar
Antes que possa na praia repousar?
E por quantas vezes balas voarão
Balas de canhão repetidas
Até que sejam para sempre banidas?

A resposta, meu amigo, está soprando no vento
A resposta vem soprada no vento.

Quantas vezes deve um homem olhar para cima
Até que possa o céu vislumbrar?
Quantos ouvidos deve um homem possuir
Até que o lamento de outro homem possa ouvir ?
E quantas mortes mais serão necessárias
Até que se perceba que hà pessoas a morrerem demais?

A resposta meu amigo está soprando no vento
A resposta vem soprada no vento.

Quantos anos deve uma montanha existir
Até que se desmanche no mar?
Quantos anos ainda deverão existir
Até que as pessoas possam viver livres?
E quantas vezes pode um homem virar a cabeça
E fingir que não vê?

A resposta, meu amigo, está soprando no vento
A resposta meu amigo vem soprando no vento…

Bob Dylan ( 1962)

30.1.08

Livros para Ler ou Imprimir

Vereadores socialistas das Câmaras de Tomar (Luis Ferreira) e Torres Novas (Manuela Pinheiro), que tiveram incumbências nas áreas da animação cultural

Convido os leitores deste post a lerem também a minha rubrica LIVROS REVISITADOS , desde 7 de Outubro de 2011.

Para melhorar a prestação cultural da nossa sociedade, com base nos bons princípios maçónicos de promoção da LIBERDADE, da IGUALDADE e da FRATERNIDADE, aqui estão disponíveis, Livros para Ler ou Imprimir.

Promover o SABER e actuar com ABSOLUTA LIBERDADE de PENSAMENTO faz de cada um de nós um melhor Cidadão.

É só clicar no título para ler ou imprimir.

A Comédia dos Erros -William Shakespeare
Poemas de Fernando Pessoa -Fernando Pessoa
Dom Casmurro -Machado de Assis
Cancioneiro -Fernando Pessoa
Romeu e Julieta -William Shakespeare
A Cartomante -Machado de Assis
Mensagem -Fernando Pessoa
A Carteira -Machado de Assis
A Megera Domada -William Shakespeare
A Tragédia de Hamlet, Príncipe da Dinamarca -William Shakespeare
Sonho de Uma Noite de Verão -William Shakespeare
O Eu profundo e os outros Eus. -Fernando Pessoa
Dom Casmurro -Machado de Assis
Do Livro do Desassossego -Fernando Pessoa
Poesias Inéditas -Fernando Pessoa
Tudo Bem Quando Termina Bem -William Shakespeare
A Carta -Pero Vaz de Caminha
A Igreja do Diabo -Machado de Assis
Macbeth -William Shakespeare
Este mundo da injustiça globalizada -José Saramago
A Tempestade -William Shakespeare
O pastor amoroso -Fernando Pessoa
A Cidade e as Serras -José Maria Eça de Queirós
Livro do Desassossego -Fernando Pessoa
A Carta de Pero Vaz de Caminha -Pero Vaz de Caminha
O Guardador de Rebanhos -Fernando Pessoa
O Mercador de Veneza -William Shakespeare
A Esfinge sem Segredo -Oscar Wilde
Trabalhos de Amor Perdidos -William Shakespeare
Memórias Póstumas de Brás Cubas -Machado de Assis
A Mão e a Luva -Machado de Assis
Arte Poética -Aristóteles
Conto de Inverno -William Shakespeare
Otelo, O Mouro de Veneza -William Shakespeare
Antônio e Cleópatra -William Shakespeare
Os Lusíadas -Luís Vaz de Camões
A Metamorfose -Franz Kafka
A Cartomante -Machado de Assis
Rei Lear -William Shakespeare
A Causa Secreta -Machado de Assis
Poemas Traduzidos -Fernando Pessoa
Muito Barulho Por Nada -William Shakespeare
Júlio César -William Shakespeare
Auto da Barca do Inferno -Gil Vicente
Poemas de Álvaro de Campos -Fernando Pessoa
Cancioneiro -Fernando Pessoa
Catálogo de Autores Brasileiros com a Obra em Domínio Público -Fundação Biblioteca Nacional
A Ela -Machado de Assis
O Banqueiro Anarquista -Fernando Pessoa
Dom Casmurro -Machado de Assis
A Dama das Camélias -Alexandre Dumas Filho
Poemas de Álvaro de Campos -Fernando Pessoa
Adão e Eva -Machado de Assis
A Moreninha -Joaquim Manuel de Macedo
A Chinela Turca -Machado de Assis
As Alegres Senhoras de Windsor -William Shakespeare
Poemas Selecionados -Florbela Espanca
As Vítimas-Algozes -Joaquim Manuel de Macedo
Iracema -José de Alencar
A Mão e a Luva -Machado de Assis
Ricardo III -William Shakespeare
O Alienista -Machado de Assis
Poemas Inconjuntos -Fernando Pessoa
A Volta ao Mundo em 80 Dias -Júlio Verne
A Carteira -Machado de Assis
Primeiro Fausto -Fernando Pessoa
Senhora -José de Alencar
A Escrava Isaura -Bernardo Guimarães
Memórias Póstumas de Brás Cubas -Machado de Assis
A Mensageira das Violetas -Florbela Espanca
Sonetos -Luís Vaz de Camões
Eu e Outras Poesias -Augusto dos Anjos
Fausto -Johann Wolfgang von Goethe
Iracema -José de Alencar
Poemas de Ricardo Reis -Fernando Pessoa
Os Maias -José Maria Eça de Queirós
O Guarani -José de Alencar
A Mulher de Preto -Machado de Assis
A Desobediência Civil -Henry David Thoreau
A Alma Encantadora das Ruas -João do Rio
A Pianista -Machado de Assis
Poemas em Inglês -Fernando Pessoa
A Igreja do Diabo -Machado de Assis
A Herança -Machado de Assis
A chave -Machado de Assis
Eu -Augusto dos Anjos
As Primaveras -Casimiro de Abreu
A Desejada das Gentes -Machado de Assis
Poemas de Ricardo Reis -Fernando Pessoa
Quincas Borba -Machado de Assis
A Segunda Vida -Machado de Assis
Os Sertões -Euclides da Cunha
Poemas de Álvaro de Campos -Fernando Pessoa
O Alienista -Machado de Assis
Don Quixote. Vol. 1 -Miguel de Cervantes Saavedra
Medida Por Medida -William Shakespeare
Os Dois Cavalheiros de Verona -William Shakespeare
A Alma do Lázaro -José de Alencar
A Vida Eterna -Machado de Assis
A Causa Secreta -Machado de Assis
14 de Julho na Roça -Raul Pompéia
Divina Comedia -Dante Alighieri
O Crime do Padre Amaro -José Maria Eça de Queirós
Coriolano -William Shakespeare
Astúcias de Marido -Machado de Assis
Senhora -José de Alencar
Auto da Barca do Inferno -Gil Vicente
Noite na Taverna -Manuel Antônio Álvares de Azevedo
Memórias Póstumas de Brás Cubas -Machado de Assis
A "Não-me-toques"! -Artur Azevedo
Os Maias -José Maria Eça de Queirós
Obras Seletas -Rui Barbosa
A Mão e a Luva -Machado de Assis
Amor de Perdição -Camilo Castelo Branco
Aurora sem Dia -Machado de Assis
Édipo-Rei -Sófocles
O Abolicionismo -Joaquim Nabuco
Pai Contra Mãe -Machado de Assis
O Cortiço -Aluísio de Azevedo
Tito Andrônico -William Shakespeare
Adão e Eva -Machado de Assis
Os Sertões -Euclides da Cunha
Esaú e Jacó -Machado de Assis
Don Quixote -Miguel de Cervantes
Camões -Joaquim Nabuco
Antes que Cases -Machado de Assis
A melhor das noivas -Machado de Assis
Livro de Mágoas -Florbela Espanca
O Cortiço -Aluísio de Azevedo
A Relíquia -José Maria Eça de Queirós
Helena -Machado de Assis
Contos -José Maria Eça de Queirós
A Sereníssima República -Machado de Assis
Iliada -Homero
Amor de Perdição -Camilo Castelo Branco
A Brasileira de Prazins -Camilo Castelo Branco
Os Lusíadas -Luís Vaz de Camões
Sonetos e Outros Poemas -Manuel Maria de Barbosa du Bocage
Ficções do interlúdio: para além do outro oceano de Coelho Pacheco. -Fernando Pessoa
Anedota Pecuniária -Machado de Assis
A Carne -Júlio Ribeiro
O Primo Basílio -José Maria Eça de Queirós
Don Quijote -Miguel de Cervantes
A Volta ao Mundo em Oitenta Dias -Júlio Verne
A Semana -Machado de Assis
A viúva Sobral -Machado de Assis
A Princesa de Babilônia -Voltaire
O Navio Negreiro -Antônio Frederico de Castro Alves
Catálogo de Publicações da Biblioteca Nacional -Fundação Biblioteca Nacional
Papéis Avulsos -Machado de Assis
Eterna Mágoa -Augusto dos Anjos
Cartas D'Amor -José Maria Eça de Queirós
O Crime do Padre Amaro -José Maria Eça de Queirós
Anedota do Cabriolet -Machado de Assis
Canção do Exílio -Antônio Gonçalves Dias
A Desejada das Gentes -Machado de Assis
A Dama das Camélias -Alexandre Dumas Filho
Don Quixote. Vol. 2 -Miguel de Cervantes Saavedra
Almas Agradecidas -Machado de Assis
Cartas D'Amor - O Efêmero Feminino -José Maria Eça de Queirós
Contos Fluminenses -Machado de Assis
Odisséia -Homero
Quincas Borba -Machado de Assis
A Mulher de Preto -Machado de Assis
Balas de Estalo -Machado de Assis
A Senhora do Galvão -Machado de Assis
O Primo Basílio -José Maria Eça de Queirós
A Inglezinha Barcelos -Machado de Assis
Capítulos de História Colonial (1500-1800) -João Capistrano de Abreu
CHARNECA EM FLOR -Florbela Espanca
Cinco Minutos -José de Alencar
Memórias de um Sargento de Milícias -Manuel Antônio de Almeida
Lucíola -José de Alencar
A Parasita Azul -Machado de Assis
A Viuvinha -José de Alencar
Utopia -Thomas Morus
Missa do Galo -Machado de Assis
Espumas Flutuantes -Antônio Frederico de Castro Alves
História da Literatura Brasileira: Fatores da Literatura Brasileira -Sílvio Romero
Hamlet -William Shakespeare
A Ama-Seca -Artur Azevedo
O Espelho -Machado de Assis
Helena -Machado de Assis
As Academias de Sião -Machado de Assis
A Carne -Júlio Ribeiro
A Ilustre Casa de Ramires -José Maria Eça de Queirós
Como e Por Que Sou Romancista -José de Alencar
Antes da Missa -Machado de Assis
A Alma Encantadora das Ruas -João do Rio
A Carta -Pero Vaz de Caminha
LIVRO DE SÓROR SAUDADE -Florbela Espanca
A mulher Pálida -Machado de Assis
Americanas -Machado de Assis
Cândido -Voltaire
Viagens de Gulliver -Jonathan Swift
El Arte de la Guerra -Sun Tzu
Conto de Escola -Machado de Assis
Redondilhas -Luís Vaz de Camões
Iluminuras -Arthur Rimbaud
Schopenhauer -Thomas Mann
Carolina -Casimiro de Abreu
A esfinge sem segredo -Oscar Wilde
Carta de Pero Vaz de Caminha. -Pero Vaz de Caminha
Memorial de Aires -Machado de Assis
Triste Fim de Policarpo Quaresma -Afonso Henriques de Lima Barreto
A última receita -Machado de Assis
7 Canções -Salomão Rovedo
Antologia -Antero de Quental
O Alienista -Machado de Assis
Outras Poesias -Augusto dos Anjos
Alma Inquieta -Olavo Bilac

A Divina Comédia -Dante Alighieri

28.1.08

Urgências

http://videos.sapo.pt/Jqim3j5WTIg9lCb2lpf4

HÁ CORRUPÇÃO NO ESTADO? Uma opinião...



O bastonário da Ordem dos Advogados diz que “há crimes sem castigo na hierarquia do Estado” e defende uma “investigação político--parlamentar às fortunas de alguns políticos”. O procurador-geral da República já determinou a abertura de um inquérito às declarações do advogado, coordenado por Cândida Almeida, e o CDS-PP vai chamá-lo ao Parlamento.



"Marinho Pinto lançou a acusação em entrevista à Antena 1 mas recusou-se a avançar com nomes, situação que causou várias reacções de indignação contra a “generalização da suspeição”.
Questionado pelo CM, o advogado de Coimbra explicou que estão em causa “situações que toda a gente vê”, dando como exemplo os casos de “membros do Governo que fazem negócios com empresas privadas e depois quando saem vão para administradores dessas empresas”. “Esbanja-se milhões de euros em pagamentos de serviços cuja utilidade é duvidosa e depois não há dinheiro para necessidades básicas”, acrescentou o advogado, dizendo que não é magistrado nem investigador e que não faz denúncias criminais, apesar de ter sido desafiado pelo ex-Bastonário Rogério Alves e por Vitalino Canas, porta- -voz do PS. Marinho Pinto disse não ter provas mas apenas indícios, baseando-se em “situações públicas e notórias”: “Há uma criminalidade em Portugal, da mais nociva para o Estado e para a sociedade, que anda aí impunemente. Muitos exibem os benefícios e os lucros dessa criminalidade e não há formas de lhes tocar. Alguns até ocupam cargos relevantes no Estado Português”.
O deputado do CDS Nuno Melo lembrou que o causídico de Coimbra “já não é apenas um advogado que faz declarações polémicas” e classificou as suas afirmações como “gravíssimas”.Recorde-se que, durante a campanha para a Ordem, Marinho também afirmou existirem “indícios” de que alguns advogados estariam “a dar cobertura a actividades menos transparentes de corrupção”, acusação que indignou a classe. "

Ana Luísa Nascimento
2008-01-26 – CORREIO DA MANHÃ

O FACTO:
António Marinho Pinto é o actual bastonário da Ordem dos Advogados e foi um experiente jornalista que investigou muitos processos de corrupção.
A OPINIÃO:
Uma série de doidos à solta persistem em querer denunciar que Portugal é um ninho de corruptos, e outros ousam apontar para os políticos, ofensa irresponsável, tanto mais que nunca ninguém foi condenado em Tribunal por isso, tirando alguns merceeiros agarrados pela ASAE a vender “quartas de feijão” não embalado.

Agora vem o Bastonário da Ordem dos Advogados com insinuações e atoardas, apesar de quase toda a gente pensar que o que o homem disse é uma evidência.

O “poder de alterne” prepara-se para apertar com o homem, querem que ele bufe tudo o que sabe... Outra coisa não seria de esperar, tanto mais que tudo fizeram para que ele não fosse o Bastonário eleito. Previsivelmente seria incómodo e outros candidatos davam mais jeito.

Houve até um deputado e ex-Ministro das Obras Públicas, de nome Eng. João Cravinho, que ousou querer fazer um Projecto-Lei para combater a corrupção, crime que felizmente não existe em Portugal.

Logo o despacharam de avião com malas e tudo para Londres, e bem, e os “laranjinhas” aliviados e contentes, ficaram a esfregar as mãos.

E agora quando o Cravinho ou o Ferro Rodrigues falam, as empresas de comunicação contratadas logo aconselham os porta-vozes a dizerem que estando longe, estão desfasados da realidade.

O Santana Flopes avisou que na C. M. de Lisboa do tempo laranja tudo era transparente e que o melhor é não mexerem muito no «caso Bragaparques», leia-se troca de terrenos do Parque Mayer-Feira Popular, porque, ele o disse, as castanhas podem estalar na boca de outros. Mas na boca de quem?

«O MVS – Movimento Vivós Submarinos» compreende o “poder de alterne”. Já temos o problema das urgências dos hospitais com esses chatos dos velhos nos corredores a cair das macas e a morrer, e porra não vêem que o país não tem prisões que cheguem, porque estão a vendê-las e os quartéis também!!!

E é que não vale a pena, porque os processos em tribunal prescrevem. Em Felgueiras o célebre processo do “saco azul” acaba de prescrever…

Haja bom senso, dediquemo-nos às boas práticas e passeemo-nos com a família pela Ponte Vasco da Gama, que a Lusoponte e o seu Presidente bem precisam…

ÚLTIMA HORA – O líder da oposição laranja o Dr. Menezes, o tal que quer privatizar a água e a CGD, como era expectável, desdramatizou a denúncia feita pelo senhor Bastonário. Coisas sem importância…


Daniel Madeira de Castro
MVS – Movimento Vivós Submarinos

10.1.08


Como parece que o "folhetim" está prestes a voltar, mas vale prevenir do que remediar.
A palavra chave aqui parece ser mesmo "remediar", que é o que se vem fazendo no Centro Hospitar do Médio Tejo há anos.
Até um dia...
Pássaro amigo vai dizendo por aí que é pretendido que "as águas se agitem", aproveitando boleias de outras regiões.
Como não acredito em coincidências, apenas vejo muito especulação, muita inveja, muita mentira a inundar um sector que deveria ter mais respeito e humanidade por quem sofre.
Se durante algum tempo parecia ser apenas e só o "pessoal do PC" a fazer pela vida, muito estranho é que cada vez mais sejam "os laranjinhas" a serem cada vez mais os arautos da desgraça. Mas enfim, são estilos...